Projeto Gris no Japão!

Esse mês a Noriko Tanaka, correspondente em terras tupiniquins do site japonês Wotopi, entrou em contato comigo para fazer um artigo sobre o Projeto Gris!

%e3%80%8c%e7%a7%81%e3%81%8c%e7%99%bd%e9%ab%aa%e3%81%ae%e3%81%be%e3%81%be%e3%81%a7%e3%81%84%e3%82%8b%e7%90%86%e7%94%b1%e3%80%8d%e3%83%96%e3%83%a9%e3%82%b8%e3%83%ab%e3%81%ae%e7%99%bd%e9%ab%aa

Projeto Gris em japonês!

Tivemos um papo super legal, onde contei pra ela sobre meu processo e ela me contou como as japonesas são ainda mais reticentes sobre cabelos gris do que nós, brasileiras – o que, confesso, me impressionou muito. Sempre chega pra gente aqui aquelxs japonesxs modernérrimxs, com cabelos ousados e coloridos, então tinha a sensação que elxs eram bem tranquilxs sobre isso, mas ela me contou que essa modernidade é aceita apenas aos jovens. Quando se entra na vida adulta as mulheres são “pressionadas” a seguir um padrão de beleza de cabelos castanhos ou pretos, com cortes mais comportados. O gris lá só é assumido por mulheres pra lá de 60 anos, e não com muita frequência.

Noriko viu na minha história uma oportunidade de mostrar para as japonesas que é possível sim assumir seus cabelos naturais, independente de sua idade! E eu fiquei muito feliz de pode falar pra gente do outro lado do mundo que o que importa é ser feliz como se é!

Abaixo vai a transcrição que a Noriko gentilmente fez da entrevista (o google tradutor é péssimo em japonês-português). Mas vale dar uma olhada lá no Wotopi pra prestigiar o trabalho dela! ;)

http://wotopi.jp/archives/42493

wotopi-japao-entrevista-elisa-out2016

“Por que eu assumo meus cabelos brancos” – Entrevista com a blogueira grisalha do Brasil

Por Noriko Tanaka

Elisa Colepicolo (34 anos) mora no Rio de Janeiro, Brasil. Ela decidiu “assumir seus cabelos brancos”, e começou a escrever o blog “Projeto Gris” há dois anos para incentivar mulheres jovens grisalhas. O blog dela acabou fazendo sucesso entre as mulheres grisalhas e ela tem sido entrevistada pela mídia, por vários jornais.

Cabelos brancos muitas vezes são vistos como sinal de “desleixo” e “velhice”, mas por qual motivo ela decidiu assumir isso? O que ela conseguiu perceber com esta decisão?

 

ed67d6907c90efa7c5239ca9695fecf3-500x322

Motivo de parar de tingir o cabelo

– Quando os cabelos grisalhos começaram a aparecer?

Elisa Colepicolo: A primeira vez que eu achei fios brancos foi quando eu tinha 16 anos. Mas tinha só um fio, depois outro fio… Comecei a passar tonalizante no cabelo mas era simplesmente por diversão.
Depois dos vinte e poucos anos tinha que tingir todos os meses, e quando fui chegando aos 28 anos o tonalizante começou a ficar complicado, ele desbotava rápido. E resolvi passar para a tintura, mas meu cabelo foi ficando muito ruim, ficou danificado, comecei a ter muita queda.
Depois de parar de tingir que percebi que não caía mais tanto, foi então que descobri que isso era por causa da tintura.
Quando cheguei aos 30 anos, comecei a me questionar “E se eu parasse pintar o cabelo…?”

A referência foi Sarah Harris da Vogue inglesa.

Colepicolo: Muitas brasileiras fazem coisas para parecerem mais novas, como por exemplo botox, cirurgia, etc… E é difícil de quebrar essa barreira.
Acho que tem duas ideias muito difundidas: “Mulher jovem não pode ter cabelo branco” e “Se ter cabelo branco, não pode ter cabelo comprido”.

Quando estava procurando mulheres que assumiram seus cabelos brancos eu achei a Sarah Harris, uma editora da Revista Vogue inglesa. Ela foi a primeira mulher jovem que eu achei que realmente era natural. E descobri que ela também começou a ter cabelo grisalho aos 16 anos e com 31 anos já estava todo grisalho. Ela tem cabelo comprido até quase a cintura, e bem grisalho. E ela é muito bonita e elegante! Eu comecei a pensar “Dá pra ter cabelo branco! Pode ficar legal! Então… por que não tentar?”

O marido não era muito favorável, mas…

– Você falou pra outras pessoas sobre o seu pensamento de não tingir mais o cabelo? O que eles acharam?

Colepicolo: Meu marido inicialmente não curtia muito a ideia… “Ah, não! Por que parar de tingir? Você ainda é muito nova!” (risos)

– Quando parou de tingir mesmo?

Colepicolo: Quando estava com 31 anos, em abril ou maio, meu marido entrou de férias do trabalho e perguntou “O que você acha se eu descolorir meu cabelo?” Ele também era grisalho. Eu respondi “Vai lá, descolore! Cabelo cresce. Se não gostar, depois corta ou pinta de novo…”.

Ele ficou meio impressionado de eu aceitar a ideia dele, mas descoloriu e adorou. Realmente ficou lindo, combinou super com ele. E ao mesmo tempo, ele ficou sem argumentos. “Se ele podia descolorir, por que eu não podia deixar de pintar?!” (risos)

Aí em julho daquele ano, na época de completar 32 anos, resolvi parar de tingir, e comecei o blog.

Queria fazer “algo” para as mulheres que não queriam mais pintar

– Por que você começou o blog “Projeto Gris”?

Colepicolo: Eu já procurava na internet mulheres grisalha desde os 30 anos, época que comecei a pensar em parar de tingir, mas só achava mulheres bem mais velhas do que eu, nunca da minha idade, nunca nem perto da minha idade. E quando achava alguma coisa era em inglês, como Sarah Harris. Mas não achava nada em português.

Fiquei pensando na quantidade de mulheres que passavam pela mesma coisa que eu, que tinham essa curiosidade de saber como é que mulheres jovens ficam quando assumem o cabelo branco, mas não conseguiam achar nada. Aí, já que eu ia fazer isso, eu podia fazer o processo fotografando pra mim e compartilhar pra ajudar outras pessoas também.
“Tenho cabelos brancos, e daí?!”

– Depois de começar o blog, como foi repercussão?

Colepicolo: Não posto todo dia, escrevo a cada 2 meses ou 3 meses. Porque tem que ter alguma mudança no cabelo. No começo, não tinha muito acesso. Quando fez 1 ano as pessoas começaram a chegar no blog. Meu cabelo ficou maior e fios brancos ficaram mais aparentes.

Quando completou 2 anos do Projeto Gris eu estava vendo o Facebook e apareceu essa página, “Tenho cabelos brancos – e daí?!”, como sugestão acesso. Aí fui ver como era e vi que mulheres falavam ali sobre os cabelos delas.

Aí eu escrevi. Minha postagem original recebeu quase 1000 curtidas, e quase 100 comentários. Então o site “Hypeness” compartilhou minha postagem e meu blog bombou. E fui entrevistada pelos jornais famosos daqui também. O negócio foi virando uma bola de neve.

Eu jamais imaginei nada disso só pelo simples fato de não pintar mais meu cabelo. E agora até no Japão! (risos)

No meu blog muitas mulheres novas comentaram que “tiveram medo de não pintar mas que agora começaram a ter coragem” ou esse tipo de coisa. Antigamente eu que procurava isso e agora estou feliz em conseguir incentivar mulheres que só querem ser felizes.

Muita gente acha estranho eu assumir meus cabelos brancos tendo menos de 35 anos. Mas cabelo branco nem sempre significa “velhice”, é uma coisa genética, então mesmo eu sendo jovem ele cresce!

Nos primeiros meses que eu parei de tingir as pessoas na rua me perguntavam “Porque não pinta cabelo?! Você é tão nova!…”. Mas agora muita gente me diz “Está bonita!”, “Ficou legal”.

burajiru

Importante é “TER CONSCIÊNCIA DA ESCOLHA”

– Favor deixar uma mensagem para as mulheres japonesas.

Colepicolo: Não quero que vocês achem que eu sou contra pintar cabelo. Se você gosta de pintar cabelo, se divirta, continue! Mas se não gosta, pare! Tente! Você vai se olhar no espelho e se achar bonita, isso é ótima decisão.

Isso não é só para o cabelo mas sim para qualquer coisa que você faça. O ruim na vida é a gente fazer as coisas por obrigação. Isso não vale a pena. Importante é ter consciência da escolha. As pessoas querem ser igual a todo mundo mas você não precisa ser igual a ninguém. Todo mundo nasce diferente. Os outros vão dizer como você deve ser ou se comportar mas você que tem que procurar o que TE faz feliz.

Mas isso aí ninguém vai te dizer, não. Você mesma que vai achar o seu caminho.

 

 

Anúncios

12 comentários sobre “Projeto Gris no Japão!

  1. ana paula disse:

    Gostei muito de ler seu artigo mostrando que mulher pra assumir seus cabelos brancos sao mulheres de atitudes e com opiniao forte,capaz de rejeitar opinioes que definem esconde los por causa da sociedade,quem assume nao e desleixo mas questao de formar ideias sem se preocupar com o que pensarao,eu tenho 38 anos e estou começando a assumir de vez os meus

    Curtir

    • Que bom, Ana Paula! É bacana quando a gente consegue ter segurança emocional pra assumirmos quem somos. Fico feliz em saber que você está neste processo. É difícil mas você vai ver que é recompensador.

      Manda notícias de como está sendo pra você!

      Bjo.

      Curtir

  2. Aline Xavier disse:

    Fiquei um período sem ver o blog e dou de cara com varias postagens e toda essa repercussão positiva sobre. Parabéns Elisa, ao compartilhar suas experiências com certeza estás a fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Talvez não lembres do meu comentário anterior, em um post antigo, portanto vou ressaltar o quanto admiro esse trabalho, tambem tive muitas dificuldades em encontrar informações sobre cabelos grisalhos para jovens, não sendo os da Sarah rs, e você só contribui para eu realmente não esconder meu gris. Obrigada

    Curtir

    • Oi Aline!

      As coisas andaram agitadas por aqui mesmo! Quem diria que algo que deveria ser simples repercutiria tanto, né?

      É muito bom saber que de alguma forma estou ajudando outras pessoas – e fico feliz em saber que contribuo com teu processo de alguma forma. Espero que você esteja feliz!

      Venha sempre que quiser! E dê notícias do seu gris! ;)

      Bjo.

      Curtir

  3. Que legal o seu blog! Me identifiquei com várias coisas! Eu tbm tenho cabelos brancos desde os 16 anos, comecei a tingir com 20 e em 2013, com 28 anos desisti de pintar. Algumas pessoas me apoiaram, mas a maioria dizia q eu ia ficar com cara de velha, que ia ficar feio… Conforme foi crescendo as pessoas foram gostando e em todos os lugares que eu passo até hoje sempre alguém comenta que acha meu cabelo lindo. Um pouco depois que comecei a deixar natural me mostraram a Sarah Harris e a Isabel Marant e isso realmente me incentivou muito, porque como muita gente me criticava, ás vezes me dava uma certa dúvida e vendo essas mulheres, me animei mais em continuar.

    Curtir

    • Oi Andréia!

      Não é fácil mesmo. A pressão para que a gente ceda ao “padrão” é muito forte. Mas lembre-se sempre de fazer apenas o que te faz feliz. É o seu cabelo, seu corpo, sua vida – e ninguém tem nada com isso, você não prejudica ninguém sendo como você é naturalmente. Além disso, como você já deve ter visto, ser gris pode ser lindo! :)

      Fiquei curiosa pra ver como está seu cabelo! Temos idades e histórias de gris parecidas. Se quiser me manda uma foto e, se permitir, publico aqui . É sempre estimulante para outras mulheres perceber que não estão sozinhas nessa luta contra os moinhos de vento! ;)

      Fique firme e seja feliz!

      Bjo.

      Curtir

  4. Maria Elizete disse:

    Olá Lis
    Gostei muito do seu artigo e seu Projeto Gris. Tenho cabelos brancos desde meus 18 anos. No começo eu tonalizava. Com o passar dos anos, não teve mais jeito, tinha a casa 20 dias. E assim foi diminuindo o tempo…passei a tingir a cada 15 dias. Depois, alguém me deu a ideia de retocacar a raiz e, na outra, tingir por inteiro. Isso ocorreu por vários anos. Em 2014 decidi fazer luzes, retocando-as a cada quatro meses.
    Já ouvi por várias vez que tenho que pintar e esconder os grisalhos…porque aparento mais velha…sei lá. O último retoque foi em julho. Estou com os grisalhos bem aparentes. E estou decidida a não fazer mais retoques mas luzes. Muitas acham bonito meu cabelo. As vezes me dá vontade de tingi-Los novamente, porque tenho vergonha dos brancos. Mas, lendo seu artigo fiquei mais animada. 😍😍😍😘

    Curtir

    • Que bom, Maria Elizete! É sempre bom saber que o Projeto Gris está cumprindo sua função: incentivar outras mulheres a assumirem suas madeixas naturais e serem felizes como são! :)

      Essa fase que você está é difícil mesmo. Talvez uma das mais difíceis. Porque é quando o cabelo fica tricolor, a raiz bem grande mas ainda não o suficiente para dar um corte e fazer a cor artificial sair. Foi a fase que eu mais pensei em desistir também. Mas aguente firme porque essa fase passa e daqui a pouco você vai ter luzes platinadas naturais! rsrs… E, claro, se no fim desse processo você perceber que você preferia como era antes, é só tingir de novo – simples assim! É cabelo, cresce, e o importante é a gente se sentir feliz. ;)

      Eu estou quase completando 3 anos desde que parei de tingir e te digo que não me arrependo. Além disso, depois que sai toda a tinta e que você se reorganiza (corte, visual, auto-estima), o cabelo gris não chama mais tanta atenção.

      Apenas se lembre que o objetivo disso tudo é a sua felicidade! E quando quiser volte aqui pra contar como anda seu processo. ;)

      Bjo!

      Curtir

  5. Carla disse:

    Amei tudo isso….Tenho 50 anos e nunca gostei de estar em salão de beleza….Retoca aqui … Retoca dali. Sempre achei uma verdadeira perda de tempo… Agora vou assumir meus lindos fios brancos….Que são super aprovados por meu esposo e dois filhos lindos que tenho…. Bjs ..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s