5 meses

16 de novembro. De julho pra cá, quando comecei esse blog, foram 4 meses. Desde minha última tintura já foram 5. E a grisalhice permanece.

Andei sumida, eu sei. Mas foi proposital. Não achei que valia a pena ficar mostrando cada centímetro crescido do meu cabelo. Ele estava bem curto, então fica difícil ver os resultados. Principalmente porque cortei bem curtinho (como dá pra ver na foto da primeira postagem, de 5 de julho) mas ainda assim não consegui tirar todo o resquício das colorações. Sobraram umas pontas de tintura e uns miolos de henna. E não saem. Nem com shampoo anti-resíduos nem com o tempo. Só com tesoura.

Projeto Gris - Elisa Colepicolo

Assim estou eu 5 meses passados!

Pois agora já estou beeeem grisalha. Com o cabelo um pouco maior dá pra ver melhor do que antes, mas ainda não está comprido o suficiente pra dar a sensação de uniformidade no cabelo. Por isso não tirei as pontas coloridas ainda. Quero ver como é que ele vai ficar comprido, “com caimento”.

Agora, vou te dizer: tá engraçado. Porque as pessoas começaram a me perguntar “começou a tingir o cabelo?”. Logo eu, que tingia desde os 16. Não parecia, agora parece. Porque a primeira coisa que as pessoas acham é que estou fazendo luzes. Aí quando percebem que não é loiro, é branco, ficam achando que eu fiz de propósito. E aí se espantam “mas você tem tudo isso de cabelo branco mesmo? Jura?”.

Sabe por que isso, né? Porque as mulheres não sabem a quantidade de cabelos brancos que tem. Elas tingem desde que nasce o primeiro e só param de tingir quando se assumem “velhas”. É uma máscara social fortíssima a tintura de cabelo. Ela esconde como as pessoas são de verdade. A grande maioria das mulheres, assim como eu antes de abandonar a tinta, não tem ideia de como são realmente, sem disfarces. Porque a tintura é um disfarce. Voluntário, mas quase impositivo. Afinal “você é jovem demais para abandonar a tintura” foi uma das coisas que eu mais ouvi antes de o cabelo ficar visualmente grisalho. Agora, explícito do jeito que está, poucos tem coragem de dizer isso.

Mas vou contar uma coisa: muita gente está elogiando. Gente que eu nem conheço. Gente que me olha e acha moderníssimo (!). Gente que fala “não achei que fosse ficar tão bom”. E isso é ótimo! Uma portinha aberta na cabeça de muita gente.

E você? Já abriu essa portinha?

IMG_20141116_222212IMG_20141116_222305IMG_20141116_222437IMG_20141116_222145